Pesquisa personalizada

#MCC - Calmaria - Alexandre Privato

#MCC - Diego Fernandes - Sigo o Leão da Tribo de Judá

MCC - Músicos Cristãos Católicos recomenda:

quarta-feira, 29 de julho de 2009

11° Festival Nacional de Dança Sacra reunirá bailarinos de vários estados

acontecerá no Centreventos Cau Hansen mais uma edição do Festival de Dança Sacra de Joinville


No dia 22/08, às 18h00, acontecerá no Centreventos Cau Hansen mais uma edição do Festival de Dança Sacra de Joinville, evento promovido pelo Núcleo Edanças – Escola de Dança Sacra, com apoio da Adipros – Associação Diocesana de Promoção Social e Renovação Carismática Católica da Diocese de Joinville.

O principal objetivo do evento é promover a dança sacra e reunir os bailarinos atuantes desta arte em todo o país, em um espetáculo que reúne a fé, o amor e a expressão única de cada participante. A dança sacra tem assumido um grande caráter inclusivo, integrando crianças, adolescentes e jovens de uma maneira não só estética, mais também solidária e fraterna.

As apresentações deste ano são nos seguintes gêneros: Infantil, Livre, Jazz e Dança de Rua. Além do grande destaque para os grupos de Joinville e região, teremos a participação de bailarinos dos estados de: GO, PR, SP, e RJ, totalizando mais de 300 participantes.

Os ingressos estarão a venda a partir do dia 10 de julho nas livrarias católicas da cidade, no Centro Diocesano de Pastoral ou pelo site www.festivaldedancasacra.com


Fonte: Renovação Carismática Católica | Santa Catarina
www.rccsc.com.br

terça-feira, 28 de julho de 2009

Música e LItúrgia

Muitos transtornos têm-se criado devido a falta de observação de um Ministério de Música ao escolher os cânticos litúrgicos para uma missa. Deve-se levar em conta três fatores que são chamados de "triciclo litúrgico": O Tempo Litúrgico, o momento da liturgia e a realidade da assembléia, como critérios para esta escolha.

Realidade da Assembléia: Deve-se sempre observar qual a realidade da comunidade reunida, se são: São agricultores, São operários, São adultos ou crianças, jovens ou idosos. Quais as suas características culturais, se existem bloqueios psicológicos, qual valores lhes são significativos, os elementos de sua religiosidade popular, nível de vida, nível cultural, dificuldades comunitárias, interesses comuns, preocupações cotidianas, anseios sociais, etc.

Esta análise, pode parecer tolice, mais é fundamental, pois na realidade é o carro chefe do "triciclo litúrgico". Deve orientar a direção da ação litúrgica. A mesma música que é muito litúrgica em um centro urbano pode ser inadequada para a realidade do campo. Há canções que se adaptam muito bem para idosos, mas não são significativas para os jovens. Quanto melhor entendermos e respeitarmos estas realidades e suas diferenças, tanto mais ricas serão as nossas assembléias.

Há elementos que não fazem parte do tempo litúrgico, mas são profundamente significativos para a comunidade que celebra, por exemplo: festa do padroeiro aniversários, bodas, comemorações civis, enfermidade, primeira comunhão, etc. Tudo isso faz parte da realidade e deve ser cuidadosamente considerado.

O Tempo Litúrgico: A igreja dividiu os mistérios do nascimento da vida, morte e ressurreição de Jesus ao longo do ano litúrgico. Este "ano" começa no Advento e vai até o Tempo Comum, não coincidindo com o nosso ano civil. A liturgia deve estar em sintonia com o ministério que estiver sendo celebrado, ou seja, deve ser coerente com o ano litúrgico.

ADVENTO: é um tempo de expectativa diante do Cristo que irá nascer. Tempo próprio para canções de esperança.

NATAL E EPIFANIA: Deus se faz homem em Jesus Cristo. Este nascimento precisa ser celebrado com canções de festa, com muita alegria, fazendo de toda a liturgia uma "noite feliz".

QUARESMA: Tempo de conversão. Os cantos devem ser um prenúncio da morte de Cristo. Por isso neste tempo não se canta o Aleluia e o Glória, pois são manifestações típicas de alegria. A Igreja celebra neste tempo a Campanha da Fraternidade.

PASCOA: Anuncia que Cristo vive. O Aleluia e o Glória voltam às celebrações.

PENTECOSTES: O Cristo vivo e ressucitado volta para o Pai e cumpre a promessa de enviar o Espírito Santo. É este Espírito que agora guia a Igreja torna possível levar a palavra até os confins da terra.
O TEMPO COMUM: Nele comemoramos a plenitude do ministério de Cristo sem nos determos em algum aspecto singular de sua existência.

Momentos da liturgia: A liturgia, de um modo geral, pode ser entendida como um diálogo entre o Deus-Trindade e o Homem-Comunidade. Este diálogo é composto de vários momentos dentre eles, e especialmente, a Celebração Eucarística, que está também composta de vários "momentos litúrgicos". Dentro de cada um destes podem ou devem ser inseridos vários cantos:

1. Ritos iniciais: preparação, entrada, ato penitencial e glória.
2. Liturgia da Palavra: Salmo responsorial, aclamação ao Evangelho, depois da homilia, Profissão de fé, oração dos fiéis.
3. Liturgia Eucarística: Preparação das Oferendas, oração Eucarística, Santo, respostas à Oração Eucarística, Pai-nosso, abraço da paz, Cordeiro de Deus, Comunhão, Ação de graças.
4. Rito de Saída.

A observação desses itens são muito importantes para uma melhor sintonia dentro de uma Igreja.


sexta-feira, 24 de julho de 2009

Banda Alto Louvor

BANDA ALTO LOUVOR DA BAHIA EM TERESINA, DIA 15 DE AGOSTO.

VOCÊ NÃO PODE PERDER ESTA FESTA!!!!

A Banda de pagode Alto Louvor, desbrava o cenário musical. As canções defendem a cultura de paz. Por isto, proporcionam uma diversão saudável com muito swing, molejo e estilo - próprios da terra. Porém com uma linguagem e danças diferentes.

LOCAL DO SHOW: CENTRO DE ARTESANATO

A PARTIR DAS 19HS

COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DA BANDA OZ PIRADINHOS

VALOR DO INGRESSO: R$ 10,00

MAIS INFORMAÇÕES: 3232-5858 (A PARTIR DAS 15H)

REALIZAÇÃO :

COMUNIDADE CATÓLICA SHALOM DE TERESINA

Lançamento do cd In Nomine Dei

In Nomine Dei, um projeto musical que demorou oito meses para ser concluído e conta com participações especiais do tecladista oficial da Banda Angra (Paraná) e Ronaldo Junior (Banda DarkSynphoni). Todo o projeto gráfico visual foi desenvolvido pelos mesmos profissionais que fizeram o último trabalho da Banda Oficina G3 – CD Depois da Guerra. A Banda Nomine espera que o CD IN NOMINE DEI alcance o tão sonhado horizonte, para que muitos jovens possam aproveitar as músicas e que o Espírito Santo aja nos corações daqueles que ouvirem as canções. O projeto foi elaborado minuciosamente, sendo estipulado um critério de perfeição para os admiradores e para aqueles que ainda não conhecem a banda.

Clique AQUI e conheça mais sobre a banda NOMINE!

Clique AQUI e peça agora mesmo!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Halleluya 2009 - Confira a programação do Halleluya 2009

halleluya2009Halleluya 2009 – o Som da Esperança

Quando chega o mês de julho, Fortaleza já se prepara para o maior evento cultural-artístico e religioso do Estado: O Halleluya - Uma Festa que Nunca Acaba. O Halleluya foi planejado para ser um diferencial entre os demais eventos que acontecem durante o período de férias em Fortaleza, apresentando à população cearense a diversidade de estilos e tradições culturais por meio do teatro, da dança e da música.

» Visite o site do Halleluya
» Assista ao VT do Halleluya 2009

Além disso, ele pretende desenvolver na sociedade um espírito de otimismo e esperança, de valorização à vida, do respeito a si e aos outros, em um movimento crescente de compreensão da missão pessoal dentro da sociedade, resgatando valores pessoais, familiares e sociais.

O Halleluya visa o intercâmbio musical, cultural e social entre regiões brasileiras e internacionais, através de espetáculos de teatro e danças tradicionais, folclóricas e contemporâneas, de cunho educativo, informativo e de entretenimento.

O TEMA

A cada ano, o evento aborda, entre o público, uma temática. Este ano, o Halleluya traz o tema da Esperança. “A esperança torna a vida mais bela. Seria duro tocar a vida concreta sem a esperança, que nos dá forças para construir o futuro. Através do “Halleluya - O Som da Esperança”, queremos ser um grande sinal de esperança para a sociedade”, declarou Gabriella Dias, uma das organizadoras do evento e responsável local da Comunidade Católica Shalom.

SOLIDARIEDADE

Para ser este grande sinal de esperança, todos os anos, o Halleluya promove ações sociais de ajuda humanitária, por meio da doação de sangue e cadastro de doadores de medula óssea. Anualmente, o de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce) leva uma unidade móvel ao local. No ano passado, por exemplo, o órgão arrecadou 327 bolsas de sangue e realizou cadastro para doação de medula óssea. Foi no Halleluya de 2008 que o órgão alcançar a meta de 25 mil cadastros de doadores de medula óssea em menos de um ano de campanha.

Outra ação de esperança é a arrecadação de alimentos, que serão encaminhados para as vítimas das enchentes, por meio da Defesa Civil do Estado. Em 2008, o Halleluya arrecadou sete toneladas de alimentos.

APRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS

Este ano, serão mais de 30 apresentações artísticas, entre shows musicais, peças teatrais e espetáculos de dança. Cerca de cinco bandas vão se apresentar, a cada noite, intercaladas por espetáculos de dança e teatro. Uma das grandes novidades, este ano, será a apresentação do Canto das Irias, peça encenada na Paixão de Cristo, em Natal (RN), no ano de 2008.

Já estão confirmadas as seguintes atrações: Nazaré, Anjos de Resgate, Eliana Ribeiro, Cosme, Adriana, Suely Façanha, Dominus, Mensagem Brasil, Pe. Cleidmar, Davidson Silva, Filhos de Davi, Izaias Luciano, Alto Louvor, Missionário Shalom, Batista Lima, Ricardo Sá.

ESTRUTURA

No Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), serão reservados cerca de 110 mil metros quadrados de área que abrigará toda a infraestrutura do evento. Serão mais de dois mil voluntários trabalhando para garantir o conforto e comodidade ao público. Além disso, serão montados estandes, praças de alimentação, camarotes, sala de imprensa, enfermaria, posto do Corpo de Bombeiros. O estacionamento terá vaga para 3.500 carros e 500 ônibus.

ESPAÇO JOVEM RADICAL

A grande novidade será o Espaço Jovem Radical, onde os jovens poderão praticar esportes radicais e interagir com os mais diversos públicos.

HALLELUYA KIDS

Um dos espaços que será montado é o Halleluya Kid, onde os pais poderão deixar os filhos enquanto curtem as atrações da arena principal. Atividades e apresentações lúdicas, especialmente para as crianças, estão sendo preparadas. Jogos, brincadeiras, shows e tudo para entreter a criançada, passada de maneira lúdica e envolvente.

Violência zero

O halleluya é um grande evento, que atrai turistas de todas as partes do Brasil e do Mundo para este grande espetáculo da Paz. Em 12 anos de realização, o Halleluya se orgulha em ser um evento de grande porte com zero de violência, ou seja, sem registro de ocorrências policiais.

Histórico

Em 1995, nascia a semente do Halleluya. Na época, o Projeto Juventude, da Comunidade Católica Shalom, decidiu promover três dias de festas para celebrar o fim das férias. O Trifest, como era chamado, foi realizado em um ginásio da capital. Dois anos seguintes, o Projeto aumentou em um dia o evento, que passou a ser Quadrifest.

O sucesso do evento foi tanto que em 1997, ele passou a ser realizado no Parque do Cocó, já com o nome Halleluya. Já na primeira edição, o evento recebeu um público de 40 mil pessoas. Em 2005, o Halleluya foi transferido para o Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU). Nesse ano, segundo a organização, participaram do evento cerca de 350 mil pessoas. Em 2007, a média de público participante foi de 450 mil pessoas durante os cinco dias. Este número saltou para 650 mil pessoas em 2008.

Fonte: Rocélia Santos - Assessoria de Imprensa , Jornalista

620 já inscritos em festival católico de Verão em Portugal

O Festival Jota acontece em São Jacinto, Aveiro, de 24 a 26 de Julho


Cerca de 620 pessoas já se inscreveram para a 3ª edição do Festival Jota, o maior evento de música cristã realizado em Portugal. Este ano, a iniciativa decorre entre 24, 25 e 26 de Julho, na Praia de São Jacinto, Aveiro.

Segundo a organização, a adesão à primeira fase "superou todas as expectativas". O número promete crescer ao longo dos próximos 12 dias. As inscrições continuam abertas, para os três dias de concertos e atividades, com um acréscimo de 5€ (cinco euros).

Além deste bilhete geral estima-se que um grande número de pessoas se possa juntar a este evento a partir das 21h00 para assistir aos concertos das duas noites do festival.

O preço em cada uma das noites é de 5€ (cinco euros) e dá acesso aos concertos, à Cristoteca e a todos os espaços da Aldeia Jota.

Voluntários

Um acontecimento como o Festival Jota, que cativa e movimenta centenas de jovens de todo o país, só é possível graças a equipes de trabalho que de forma sistemática vão preparando e garantindo todas as necessidades para os 3 dias de festa.

Do acolhimento à assistência de palcos, passando pela limpeza, workhops, animação, comunicação, secretariado, todas estas equipas são formadas por jovens voluntários que têm dedicado o seu tempo, trabalho e talento, e outros que o farão exclusivamente nos três dias de festival, para que este encontro supere as expectativas.

A bolsa de voluntários inscritos soma mais de 70 inscritos para os três dias do Festival. Só com a generosidade de alguns se pode concretizar o desafio de descobrir que dando se recebe a dobrar.

Montra de talentos

À semelhança dos anos anteriores o Jota 2009 tem um espaço para a descoberta de novos talentos. Em São Jacinto o palco das novas revelações assume o nome de "Palco Prozinco", por lá passarão 7 bandas que estão a dar os primeiros passos no panorama da música cristã.

Estas bandas terão a oportunidade de mostrar o seu trabalho ao grande público, num programa que este ano os apresenta intercalados com os artistas do cartaz 2009.

A Prozinco, como empresa patrocinadora do Festival Jota 2009, patrocina esta montra e dá as boas-vindas às bandas revelação 2009.


INTERECLESIAL - Evento da igreja catolica começa dia 21 e reúne 7 mil voluntários

Peregrinos de todo o país, da América Latina e do Caribe estarão em Porto Velho, a partir da próxima terça-feira (21), reunidos em um dos maiores eventos da história da cidade. Serão, segundo informa a coordenação do evento, cerca de 7 mil pessoas envolvidas com a realização do 12º Encontro dos Representantes das Comunidades Eclesiais de Base - ou 12º Intereclesial das CEBs -, que acontece de 21 a 25 de julho. Os participantes são delegados e voluntários comprometidos com a justiça social, a partir dos valores do Evangelho e, principalmente, na busca de concretização de ações objetivas por um mundo melhor.

Na capital rondoniense, no período, estarão discutindo temas atuais que envolvem desde a consciência política até a luta por melhores condições de vida para indígenas, ribeirinhos, quilombolas, camponeses e, sobretudo, o cuidado com a biodiversidade do planeta. O 12° Intereclesial aporta em Rondônia com o tema “CEBs, Ecologia e Missão” e o lema: “Do ventre da terra, o grito que vem da Amazônia”. Este será o campo norteador das discussões que têm como objetivo elaborar um documento que sintetize as necessidades e alternativas para resolver os problemas que mais afligem as populações da Amazônia, bem como de todo o país.

Além dos três mil delegados, o 12º Intereclesial vai contar também com nomes de destaque na defesa dos interesses dos indígenas como a prêmio Nobel da Paz Rigoberta Menchu, da Guatemala; dos afrodescendentes, como Dom José Maria Pires, arcebispo emérito da Paraíba e árduo defensor dos direitos humanos e civis; do meio ambiente, como a senadora Marina Silva.

As Comunidades Eclesiais de Base se espalharam pelo Brasil no final da década de 60 e contribuíram decisivamente para a redemocratização devido à luta contra o regime opressor que se instalou no país após o Golpe de 64. Desde então, as CEBs têm sido um apoio aos anseios populares e uma voz forte e sempre presente no trabalho em defesa dos povos da floresta, dos ribeirinhos, dos índios, dos sem terras, dos negros, das mulheres e também do meio ambiente.

De acordo com os organizadores, a reunião de todas as comunidades em Porto Velho vai mostrar a força da sociedade em busca de um país mais justo político, social e economicamente. A escolha da Amazônia para sediar o 12° Intereclesial vem justamente desta luta por ações efetivas pela preservação ambiental e dos direitos dos homens. Como forma de conhecer a realidade local e principalmente interagir com os povos da Amazônia, o Intereclesial também vai proporcionar visitas a hospitais, presídios, centro de recuperação de dependentes químicos, povoados indígenas e comunidades ribeirinhas. Outras informações sobre o 12° Intereclesial no site www.cebs12.org.br

Fonte: Jornal Eletrônico Rondônia ao Vivo

sexta-feira, 17 de julho de 2009

No que consiste a perfeição cristã?

O combate espiritual, do teatino Dom Lorenzo Scupoli, escrito no fim do século XVI, é um dos mais famosos tratados da vida espiritual. São Francisco de Sales, também mestre nessa matéria e Doutor da Igreja, levava-o em seu bolso durante 18 anos, lia-o diariamente e o recomendava às pessoas que dirigia.

Embora escrito há mais de 450 anos, ele tem uma atualidade impressionante. Para proveito de nossos leitores, transcrevemos aqui alguns trechos do seu primeiro capítulo.

"A vida espiritual consiste em conhecer a infinita grandeza e bondade de Deus, junto a um grande senso de nossa própria fraqueza e tendência para o mal; em amar a Deus e nos detestarmos a nós mesmos; em nos humilharmos não somente diante dEle, mas, por Sua causa, também diante dos homens; em renunciar inteiramente à nossa própria vontade para fazer a Sua.

Consiste, finalmente, em fazer tudo somente pela glória de seu santo Nome, com um único propósito - agradar-Lhe -, por um só motivo: que Ele seja amado e servido por todas as suas criaturas. ....

As letras gregas alfa e ômega ostentadas pelo Padre Eterno, significam que Deus é o princípio e fim de tudo.

Por isso, é necessário lutar constantemente contra si mesmo e empregar toda força para arrancar cada inclinação viciosa, mesmo as triviais.

Conseqüentemente, para se preparar ao combate a pessoa deve reunir toda sua resolução e coragem.

Ninguém será premiado com a coroa se não tiver combatido corajosamente.

....Aquele que tiver a coragem de conquistar suas paixões, controlar seus apetites e rejeitar até as mínimas moções de sua vontade, pratica uma ação mais meritória aos olhos de Deus do que se, sem isso, rasgasse suas carnes com as mais agudas disciplinas, jejuasse com maior austeridade que os Padres do deserto, ou convertesse multidões de pecadores. ....

O que Deus espera de nós, sobretudo, é uma séria aplicação em conquistar nossas paixões; e isso é mais propriamente o cumprimento de nosso dever do que se, com incontrolado apetite, nós Lhe fizéssemos um grande serviço. ....

Para se obter isso, deve-se estar resolvido a uma perpétua guerra contra si mesmo, começando por armar-se das quatro armas sem as quais é impossível obter a vitória nesse combate espiritual.

Essas quatro armas são: desconfiança de si mesmo, confiança em Deus, apropriado uso das faculdades do corpo e da alma, e o dever da oração.”

Fonte (traduzido): (The Spiritual Combat - And a Treatise on Peace of Soul, TAN Books and Publishers, Inc., Rockford, Illinois, USA, 1990, pp. 4 e ss.)

Banda Kerigmania com novas canções


A banda Kerigmania, de Floripa (SC), que louva a Deus através do Pop Rock e Hardcore, está com canções, são elas: Tempo de Glória (Douglas Simões, Proposta Real (Alexandre Marques) e Condução (Alexandre Marques e André Castro)
Elas estão disponíveis para audição e download no My Space, espero que curtam e louvem com a banda a nosso DEUS.

Para agendar shows de evangelização com a banda Kerigmania pelo Nordeste, entrar em contato com Jacytan Melo Produções, fones: (81) 8645-1475 - 9968-4098.

terça-feira, 14 de julho de 2009

Músico e maturidade cristã

O músico, seja ele cristão ou os que atuam fora da Igreja, muitas vezes imaginam-se úteis e indispensáveis quando se trata de tocar o seu instrumento. Provavelmente, quando tecnicamente um Ministério ou uma banda tem a sua evolução coletiva, cada um tem a sua função específica em cada música. Porém, outros não tão evoluídos tecnicamente têm a tendência de depender de um ou outro músico para realizar solos que possam dar mais vida as músicas.

Os músicos que têm uma maturidade técnica, a vaidade fala mais alto, isto é, costumam ser um pouco exibidos, isto devido aos anos de vivência no seu aprendizado. Mas o que se deve ter em mente é que o músico nunca deve se sentir como um dos melhores e deve ter consciência que aparecerá alguém melhor do que ele. Quem nunca passou por essa experiência de gostar de mostrar-se o que aprenderam e quando algum leigo em música diz "esse toca muito!", logo o orgulho passa a tomar conta.

Existem dois exemplos típicos que se encontram tanto no meio cristão como no secular. O músico cristão sempre diz que quando toca, louva ao Senhor e o secular diz que é para sua satisfação pessoal. O músico secular sempre expressa o que acha, mas nem sempre se vê os verdadeiros sentimentos no músico cristão, infelizmente a realidade é esta.

Em minha caminhada de Ministério (10 anos), percebo o músico cristão, em alguns casos, decorar tudo certinho o texto que vai dizer a todos os membros da Igreja: "toco louvando ao Senhor!". Mas observando um pouquinho, vamos vê-lo executando o seu instrumento percebemos que ele também se satisfaz naquele momento, não (somente) em louvar a Deus, mas no prazer em tocar. Faz um verdadeiro "show" de demonstração de conhecimento e no fundo acha que está "abafando" e sua satisfação pessoal o impede de perceber isso.

Em outras ocasiões quer mostrar à equipe algum acessório novo que comprou, seja ele de guitarra, bateria ou contrabaixo, e seus recursos, mas acaba mostrando "pra Deus e pro mundo", exagerando nas demonstrações dos efeitos ou recursos nos ensaios e, conseqüentemente, nas missas, nos grupos de orações e nos demais eventos de nossa Igreja, fazendo com que a essência da música se perca e a espiritualidade vá pro esopaço. Parece uma criança que ganhou seu primeiro brinquedo ou uma bicicleta. Isso é uma ato típico do músico aprendiz que busca seu lugar no grupo.

O músico que está preparado tecnicamente e com longos anos de estrada, vê as limitações de cada um e as respeita. Ele age como um verdadeiro sábio deve agir, reconhecendo os defeitos e virtudes de cada um.

Já percebi que músico desse tipo nunca vai humilhar ou se vangloriar no seu instrumento diante do aprendiz, mas ensinará pequenas técnicas, porque ele sabe que sempre o aprendiz deverá reconhecer suas limitações na vivência com outros músicos.

Quando um grupo não está em harmonia e não não evolui coletivamente, existe um grande risco de criar-se uma dependência de uma ou duas pessoas do mesmo. Cria-se dependência em todos os aspectos, o que acaba gerando acomodação por parte dos de menor técnica. É isso que faz com que os mais técnicos acabem sendo imprescindíveis dentro do grupo.

É sempre bom lembrarmos que se sentirmos que somos imprescindíveis dentro do ministério de música é porque algo está errado. Em primeiro lugar, o único que deve ser imprescindível tem de ser Nosso Senhor Jesus Cristo e não nós. Devemos ser apenas instrumentos em Suas mãos.

Quando começamos a pensar que somos imprescindíveis, é porque ainda não amadurecemos e caímos em algumas tentações, como o da satisfação pessoal, que é gerada pelo prazer de tocar, pelo sentimento de sermos os melhores, que é gerado pela soberba resultante da nossa inexperiência de vida. O sentimento nos passa a perna e acaba gerando em nós plena barreira de louvar ao Senhor, porque ficamos preocupados achando que o momento não fluirá quando estamos ausentes. Nos sentimos como o pilar que sustenta a equipe e acabamos sentindo orgulho disso. E quando estamos com esse sentimento, acabamos gerando uma barreira entre o ministério e a assembléia (povo de Deus).

segunda-feira, 13 de julho de 2009

O que é uma Indulgência?

1 - Indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos santos.

2 - A indulgência é parcial ou plenária, conforme liberta em parte ou no todo, da pena temporal devida pelos pecados.

3 - Ninguém pode lucrar indulgências a favor de outras pessoas vivas.

4 - Qualquer fiel pode lucrar indulgências parciais ou plenárias para si mesmo ou aplicá-las aos defuntos, como sufrágio.

5 - O fiel que, ao menos com o coração contrito, faz uma obra enriquecida de indulgência parcial, com o auxílio da Igreja alcança o perdão da pena temporal, em valor correspondente ao que ele próprio já ganha com sua ação.

6 - O fiel cristão que usa objetos de piedade (crucifixo ou cruz, rosário, escapulário, medalha) devidamente abençoados por qualquer sacerdote ou diácono, ganha indulgência parcial. Se os mesmos objetos forem bentos pelo Sumo Pontífice ou por qualquer bispo, o fiel, ao usá-los com piedade, pode alcançar até a indulgência plenária na solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, se acrescentar alguma fórmula legítima de profissão de fé.

7 - Para que alguém seja capaz de lucrar indulgências, deve ser batizado, não estar excomungado e encontrar-se em estado de graça, pelo menos no fim das obras prescritas. O fiel deve também ter intenção, ao menos geral, de ganhar a indulgência, e cumprir as ações prescritas, no tempo determinado e no modo devido, segundo o teor da concessão.

8 - A indulgência plenária só se pode ganhar uma vez ao dia. Contudo, o fiel em artigo de morte pode ganhá-la, mesmo que já a tenha conseguido nesse dia. A indulgência parcial pode ganhar-se mais vezes ao dia, se expressamente não se determinar o contrário.

9 - A obra prescrita para alcançar a indulgência plenária anexa a uma igreja ou oratório é a visita aos mesmos. Neles se recitam a oração dominical e o símbolo dos apóstolos (Pai Nosso e Credo), a não ser caso especial em que se marque outra coisa.

10 - Para lucrar a indulgência plenária, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado até venial, requerem-se a execução da obra enriquecida da indulgência e o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice.

Com uma só confissão podem ganhar-se várias indulgências, mas com uma só comunhão e uma só oração alcança-se uma só indulgência plenária.

As três condições podem cumprir-se em vários dias, antes ou depois da execução da obra prescrita. Convém, contudo, que tal comunhão e tal oração se pratiquem no próprio dia da obra prescrita.

Se falta a devida disposição, ou se a obra prescrita e as três condições não se cumprem, a indulgência será só parcial, salvo o que se prescreve nos nn. 27 e 28 em favor dos ‘impedidos’.

A condição de se rezar nas intenções do Sumo Pontífice se cumpre ao se recitar nessas intenções um Pai Nosso e uma Ave Maria, mas podem os fiéis acrescentar outras orações, conforme sua piedade e devoção.

11 - Concede-se indulgência parcial ao fiel que, no cumprimento de seus deveres e na tolerância das aflições da vida, ergue o espírito a Deus com humildade e confiança, acrescentando alguma piedosa invocação, mesmo só em pensamento.

(“Manual das Indulgências”, editado pela Penitenciária Apostólica em 29 de junho de 1968 - Edições Paulinas, São Paulo, 1990)

Conteúdo extraído do Blog
Lourdes 150º Aniversário das Aparições

Ao mestre do canto

A missionária da Comunidade Canção Nova, Eliana Ribeiro, lança seu 3º CD. Desta vez um álbum oracional com dez faixas apenas com salmos cantados.

“Que coisa poderia ser mais agradável que os salmos? Como dizia maravilhosamente o próprio salmista: “Louvai ao Senhor, que os salmos são bons, nosso Deus merece louvor harmonioso. E com razão, porque os salmos são benção do povo, o louvor de Deus , elogio aos fiéis, o aplauso de todos, a linguagem universal, a voz da Igreja, a profissão harmoniosa de nossa fé, a expressão de nossa entrega total, alegria de nossa liberdade, o clamor de nossa alegria transparente”.

Clique AQUI e peça agora mesmo!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

A água benta

Origem: Foi Santo Alexandre ─ que governou a Igreja do ano 121 até 132 ─ quem mandou usar o sal na bênção da água.

Na lei de Moisés, aspergia-se o povo com água misturada com a cinza do bezerrinho vermelho que imolavam. Chama-se lustral esta água, que limpava o povo das imundícies legais.

O que as cinzas eram na Lei de Moisés é o sal na Lei evangélica. O sal simboliza a sabedoria e a amargura da penitência.

Antes de benzer a água, benze-se o sal. A água simboliza o batismo, e sempre a dor precede a penitência, como a teologia nos ensina.

Efeitos espirituais da água benta:

1 - Afugenta todo o poder do demônio no lugar em que se joga a água benta;
2 - Apaga os pecados veniais;
3 - Afugenta toda sombra, fantasia e astúcia diabólica;
4 - Tira as distrações na oração;
5 - Dispõe a alma, com a graça do Espírito Santo, à maior devoção.


Efeitos corporais da água benta:

1 - Abundância nos bens temporais;
2 - Afasta as enfermidades;
3 - Afugenta os gafanhotos, ratos e outros animais daninhos e ares pestíferos.

Introduziu-se na Igreja o uso da água benta para apagar aquela cerimônia judaica e gentílica, de lavarem-se antes de entrar na igreja, para pedirem a Deus torná-los limpos e puros. Para apagar esta figura, o cristão pedia ao sacerdote para benzer primeiro a água.


Fonte: Cultura Católica

quarta-feira, 8 de julho de 2009

CD Tocando o Céu, novo trabalho da banda Canal da Graça

Desejo de felicidade e uma sensação de liberdade à flor da pele, algo como se estivesse solto no ar, alçando vôo rumo ao coração de Deus. Esse é o clima do CD Tocando o Céu, novo trabalho da banda Canal da Graça, lançado pela CODIMUC.

Com arranjos primorosos de Adelso Freire (Banda Giom) e Marcelo Duarte (Anjos de Resgate), o disco traz 12 faixas no melhor estilo pop vocal. Entre os destaques estão as faixas Sonho de Deus, que expressa o desejo de voar para os braços do Senhor; Nasci pra ser feliz, que convida as pessoas viverem a alegria; Anjo Guardião, que, com uma melodia cativante, fala da realidade dos anjos da guarda; Sonhar, que nos convida a soltar a voz, se lançar, ser criança na presença de Deus, e Vento, uma linda oração ao Espírito Santo, que clama: “sopra sobre mim com toda a força do amor”.

O álbum traz ainda a adaptação de um grande sucesso da música religiosa. É a canção Faz Chover, gravada por grandes nomes da música cristã, como Aline Barros e Oficina G3. Composição original de Michael Farron, a música foi readaptada por Rafael de Angeli e Alex Olliveira. Com um belíssimo arranjo, a letra afirma: “assim como a flor precisa da água para sobreviver, eu preciso da tua chuva para renascer”.

Com uma sonoridade carregada de alegria e oração, que mescla ritmos dançantes e momentos intimistas, Tocando o Céu conta com as participações dos cantores Celina Borges, na música Muito mais do teu Amor, e Flavinho (Canção Nova), na faixa Posso Sentir Seus Anjos Aqui. Além disso, o CD tem a presença especialíssima de Demian Tiguez (Anjos de Resgate), nas guitarras.

Criada em 1996, em Araraquara (SP), a banda Canal da Graça chega ao seu segundo trabalho e assume como carisma “adorar o Senhor na alegria da sua misericórdia.

Clique AQUI e ouça três músicas completas
e trechos de todas as músicas deste CD!

Clique AQUI e peça agora mesmo!

TV Século 21 comemora 10 anos com muitas atrações

Irradiação sobrenatural e vida interior

O fato de Deus ser oculto ─ Deus absconditus ─ é um dos obstáculos mais graves para a conversão das almas. Deus, porém, por efeito de sua bondade, de alguma forma se manifesta por meio dos seus santos, e até por meio de almas fervorosas. Assim é que o sobrenatural transpira aos olhos dos fiéis, que vislumbram alguma coisa do mistério de Deus.

Que é, pois, essa difusão do sobrenatural? Não será o brilho da santidade, o esplendor do influxo divino, chamado correntemente pela Teologia graça santificante? Ou melhor, não será talvez o resultado da presença inefável das Pessoas Divinas naquele que Elas santificam?

Outra não era a explicação de São Basílio: "Quando o Espírito Santo se une às almas que a graça purificou, é para espiritualizá-las ainda mais. Como o sol torna mais rutilante o cristal que toca e penetra com o seu raio, assim o Espírito Santificador torna mais luminosas as almas onde habita, e estas, devido a tal presença, por sua vez tornam-se outros tantos focos, que difundem em torno a graça santificante".

Essa manifestação do divino, que se traía em todos os gestos e até no repouso do Homem-Deus, nós a vislumbramos em certas almas dotadas de vida interior mais intensa. Aí estão, clamando bem alto o segredo do seu silencioso apostolado, as conversões maravilhosas que operavam certos santos só com a fama de suas virtudes, as plêiades de aspirantes à vida perfeita que iam pedir-lhes a graça de segui-los.

Com Santo Antão, assim se povoaram os desertos do Oriente. São Bento fez surgir essa inumerável falange de santos religiosos que civilizaram a Europa.São Bernardo exerceu influência sem par, assim na Igreja como sobre os reis e sobre os povos. São Vicente Ferrer excitava, à sua passagem, entusiasmo indescritível em multidões imensas, e, o que é mais, provocava a conversão delas.

No encalço de Santo Inácio ergue-se esse exército de bravos, um dos quais, Francisco Xavier, por si só basta para regenerar uma quantidade incrível de pagãos. Somente a irradiação do poder do próprio Deus, através desses instrumentos humanos, pode explicar a razão desses prodígios.Que desgraça, quando não há almas verdadeiramente interiores entre as pessoas que estão à frente de obras importantes!

O sobrenatural parece eclipsado, o poder de Deus fica como encadeado. Como os santos nos ensinam, é então que um país declina, e que a Providência parece abandonar aos maus todo o poder de fazer estragos. Compenetremo-nos bem desta verdade: as almas, como que instintivamente, e sem lograrem claramente definir o que sentem, percebem essa irradiação do sobrenatural.

Vede como de bom grado se vai prostrar aos pés do sacerdote, e implorar perdão, esse pecador que reconhece o próprio Deus na pessoa de seu representante. E desde o dia em que o conceito integral de santidade cessa de ser o ideal necessário do ministro de tal ou tal seita cristã, essa seita se vê infalivelmente obrigada a suprimir a confissão.Johannes quidem signum fecit nullum─ Na verdade, João não fez nenhum milagre (Jo. 10,41).

Sem fazer nenhum milagre, João Batista atraía as multidões. Bem fraca era a voz de São Vianney, para se fazer ouvida da multidão que em volta dele se apinhava. Sem embargo, se não ouviam, viam-no ─ viam uma custódia de Deus ─ e só essa vista subjugava e convertia os assistentes. Voltara de Ars um advogado.

Como lhe perguntassem o que mais o tinha impressionado, respondeu: "Vi Deus num homem".Lícito nos seja resumir tudo por meio de uma comparação um tanto vulgar. É bem conhecida a seguinte experiência de eletricidade: Colocada sobre um isolador, uma pessoa é posta em comunicação com uma máquina elétrica; seu corpo carrega-se de fluido elétrico; mal alguém se aproxima dela, logo se deflagra a faísca, que faz estremecer aquele que se põe em contato com tal pessoa.

Assim acontece para o homem interior. Uma vez desapegado das criaturas, entre Jesus e ele logo se estabelece uma comoção incessante, uma como que corrente contínua. O apóstolo, transformado em acumulador de vida sobrenatural, condensa em si o fluido divino, que se diversifica e se adapta às circunstâncias e a todas as exigências do meio em que opera: Virtus de Illo exibat et sanabat omnes─ Saía d'Ele uma virtude que os curava a todos (Lc., 6, 19).

As suas palavras e atos tornam-se então os eflúvios dessa força, que é latente, mas sumamente eficaz para derrubar os obstáculos, alcançar conversões e aumentar o fervor.Quanto mais as virtudes teologais existirem num coração, tanto mais esses eflúvios hão de ajudar a fazer nascer essas mesmas virtudes nas almas.(D. Jean-Baptiste Chautard, "A Alma de Todo Apostolado" - Ed. F.T.D., 1962, p. 116)

Fonte: Cultura Católica

segunda-feira, 6 de julho de 2009

O Dogma do Purgatório

O Pe. Francisco Xavier Schouppe S.J., missionário jesuíta que viveu em fins do século XIX e início do XX, foi um profícuo autor de obras de caráter teológico e exegético bíblico.

Deixou vários livros populares, dentre os quais destaca-se um sobre o Purgatório, do qual extraímos os textos abaixo. Das obras que escreveu, esta é a mais conhecida e recomendada.

O Dogma do Purgatório é muito esquecido pela maioria dos fiéis; a Igreja Padecente — onde há tantos irmãos para socorrer, e para onde sabem que um dia devem ir —, parece-lhes terra estranha.

Esse verdadeiramente deplorável esquecimento constituía um grande sofrimento para São Francisco de Sales: "Hélas", disse esse pio Doutor da Igreja, "nós não nos lembramos suficientemente de nossos caros falecidos; sua memória parece esvanecer-se com o som fúnebre dos sinos".

As principais causas disso são ignorância e falta de fé; nossas noções sobre o Purgatório são muito vagas, nossa fé é muito fraca.

Então, para que nossas idéias se tornem mais precisas e nossa fé vivificada, devemos olhar mais de perto essa vida além túmulo, esse estado intermediário das almas justas ainda não dignas de entrar na Celeste Jerusalém.

O Purgatório ocupa um importante lugar em nossa santa Religião: forma uma das principais partes da obra de Jesus Cristo, e representa um papel essencial na economia da salvação do homem.

Lembremo-nos de que a Santa Igreja de Deus, considerada como um todo, é composta de três partes: a Igreja Militante [nesta Terra], a Igreja Triunfante [no Céu] e a Igreja Padecente ou Purgatório.

Essa tríplice Igreja constitui o Corpo Místico de Jesus Cristo, e as almas do Purgatório não são menos seus membros que os fiéis na Terra e os eleitos no Céu. .... Essas três igrejas-irmãs mantêm incessantes relações entre si e uma contínua comunicação, que denominamos a Comunhão dos Santos.

Rezar pelos falecidos, fazer sacrifícios e sufrágios por eles, forma parte do culto cristão, e a devoção pelas almas do Purgatório é a que o Espírito Santo infunde com caridade nos corações dos fiéis. "Santo e salutar pensamento é rezar pelos mortos", diz a Sagrada Escritura, "para que sejam purificados de seus pecados" (II Mac. 12, 46).

A Justiça de Deus é terrível, e pune com extremo rigor mesmo as faltas mais triviais. A razão é que tais faltas, leves a nossos olhos, não o são diante de Deus. O menor pecado desagrada-O infinitamente, e, por causa da infinita Santidade que é ofendida, a menor transgressão assume enorme proporção e exige enorme expiação. Isso explica a terrível severidade das penas da outra vida, e deveria nos penetrar de santo temor.

Purgatory — Illustrated by the Lives and Legends of the Saints, versão norte-americana da TAN Books and Publishers, Inc., Rockford, Illinois, 1973, pp. V e ss.

(Texto extraído de Cultura Católica)

Não há mãos para tanger sinos em Roma

Com diversas funções, tanto para chamar os fiéis às festividades quanto para anúncios tristes, os sinos não podem emudecer; mas, lamentavelmente, é o que vem acontecendo

Poucos objetos têm tão entranhada em si a catolicidade quanto os sinos. A Igreja, na sua sabedoria, instituiu inclusive uma bênção especial para eles. Entre as características mais marcantes de seu som sagrado, está o de atrair os anjos e afastar os demônios.

O próprio ato de tocar os sinos, puxando aquela corda característica e inconfundível, de algum modo participa das graças do sino. Segundo o famoso teólogo francês Mons. Gaume, “a corda que serve para tocar o sino, essa corda que sobe e desce sem cessar, indica o trabalho do pregador, e é também imagem da nossa vida” (L’Angelus au dix-neuvième siècle, Editions Saint-Remi, 2005).


Por isso, é com indizível tristeza que ficamos sabendo, pela BBC News (25-8-08), que “em Roma –– a capital da Cristandade, que tem cerca de 600 igrejas, com mais de 1500 sinos nos seus campanários –– a antiga arte de tanger os sinos quase morreu.

Os tocadores de sino são uma raça em extinção. O seu lugar foi tomado por equipamentos automatizados que, em muitas igrejas, substituíram a tradicional corda de sino. Cada igreja costumava ter um sacristão, cuja tarefa era tocar os sinos”.

Sabemos bem que os múltiplos problemas trazidos pela civilização moderna dificultam cada vez mais esse precioso trabalho manual de fazer soar os sinos, e que a tendência é para a máquina substituir o homem.

Sabemos isso, e muita coisa mais que se queira alegar. Mas sabemos também que um coração verdadeiramente católico não pode deixar de entristecer-se com o desaparecimento desse ofício, tão representativo da vida católica, substituído pela frieza do ato de apertar um botão mecânico, também ele tão representativo de uma civilização anticatólica.

* * *
E quem não vê que os próprios sinos vão sendo marginalizados e tendem a desaparecer!? Prossegue a BBC:

“Durante séculos os sinos das igrejas de Roma, além de marcar as horas, tocavam para anunciar a morte de um Papa, celebrar as grandes festas de Natal e Páscoa, e chamar os fiéis para a Missa aos domingos.

“Segundo Fabio Angelici, especialista em instalar mecanismos para tocar sinos, ‘os romanos perderam o hábito de desfrutar a beleza do dobre de sinos das igrejas, aos domingos pela manhã, e acordar ao som deles. Pelo contrário, o som dos sinos tornou-se um incômodo para muitas pessoas. A lei agora limita o toque de sinos das igrejas, como se fizessem parte de um sistema de alarme’.

“No norte da Itália, existem milhares de aficionados em tocar sinos, mas em Roma, aparentemente, não existe nenhum". Uns poucos romanos que ainda gostavam dos sinos têm desaparecido com o curso do tempo, diz Angelici, cujo pai trabalhou na última fundição de sinos que havia em Roma, fechada em 1993, após 500 anos de atividade.

Se alguém nas redondezas se queixa do ruído, alegando que provoca angústia ou danos, a polícia tem agora o poder de silenciar os sinos. Não faz muito tempo que o sino da igreja era o sinal para as pessoas irem ao trabalho, e para voltar para casa almoçar ao meio-dia. Tudo isso acabou agora’.

Apenas uma ínfima minoria de sacerdotes romanos — como Dom Battista Pansa, pároco da Igreja da Transfiguração — continua a tocar seus sinos manualmente. ‘Aos domingos, quando as crianças vêm para a Missa –– diz ele –– gostam de puxar as cordas do sino. E quando estou sozinho na igreja e não há ninguém por perto, então eu puxo as cordas do sino como qualquer outro paroquiano’.

“Depois de tudo, até mesmo o Vaticano já abandonou a prática de puxar manualmente a corda, em favor de pressionar um botão para tocar”.

Por Gregorio Vivanco

Fonte: Catolicismo

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Trilhas do Céu, o axé music católico que vem de Goiânia


Em Dezembro de 2007, Fábio Paulino deu inicio a realização de um antigo sonho, formar uma banda que levasse ao público católico a alegria do axé music com um toque goiano. Foi então que surgiu “Trilhas do Céu”, uma banda recheada de pessoas abençoadas, que tinham o mesmo pensamento de Fábio, todos com grande experiência musical.

Fábio Paulino como guitarrista, se doou durante muito tempo, tocando juntamente com a banda Forró na Luz e comunidade Luz da Vida, além se apresentar em vários eventos na cidade de Goiânia- GO, com participações de grandes nomes da música católica, como: Cosme, Adriana, Ítalo Vilar, dupla DDD, Louvor e Glória, Kelly Patrícia, Padre Cleidimar, dentre outros. Lili Franco ficou com a direção vocal. Dona de uma voz maravilhosa e muito carismática, ela fez parte do elenco da criativa Turminha do Papai do céu, cantando e representando a personagem “Amadinha”, onde gravaram um CD e um DVD de grande repercussão, brilhando em várias apresentações por todo país, inclusive na Canção Nova em São Paulo.

Leandro Borges o produtor musical, traz consigo anos de experiência nessa área, realiza vários trabalhos para músicos de renome em Goiânia, possui um estúdio de gravação com equipamentos e programas de última geração, além de mãos habilidosas para tirar melodias divinas de seu teclado. A banda conta ainda com Vinicius Bolivar backing vocal, João Vicente e Márcio Luz na bateria, Gil Barbosa no contrabaixo, Geo Bahia e Junir Campi percussões e Ilma Paulino como, compositora, Diretora executiva e artística. Esse time é vencedor! Anos de caminhada, muita adoração a Deus e à música.

Por tanta dedicação dessa turma tão abençoada, o grupo pede ao Pai celestial que, que os louvores sejam abrilhantados pela luz do Espírito Santo. Os pais espirituais da banda: Querido Padre João Dias Neto, pai que não mediu esforços para nos ajudar na conquista desse espaço musical., Padre Luiz Augusto, que sempre recebeu a garotada de braços abertos, com palavras de direção e sabedoria. O trabalho do grupo é sério, voltado especialmente ao público católico que deseja dançar e cantar com santidade.

A motivação da turma vem do céu, e o grande maestro dessa banda é o Nosso Senhor Jesus Cristo, que sempre deu inspiração para que o grupo pudesse compor todas as letras e melodias que irá ser gravada no primeiro CD – Trilhas do céu – Sonhar. Para a família Trilhas do Céu, o mais importante e trilhar juntos o caminho do bem, levando com nessa caminhada, todos que acolherem com amor a palavra de Deus, aqui em Louvor.

Adriana - Jardim Secreto

“Eu sou um jardim guardado em Deus, regado com seu amor”.

Como dizem, “o tempo de Deus não é igual ao nosso”. Exatos dois anos do último Ao Vivo, Adriana lança Jardim Secreto, sexto CD, “gravado em um tempo muito especial (a quaresma)” firmando sua parceria com a Paulinas-COMEP. Nestas canções de adoração, louvor, cura e fé, as letras falam do abandono em Deus, da importância do outro, do cotidiano, da busca incessante, de espiritualidade... “A experiência com Deus que espero transmitir com minha música acontece primeiro em mim”, garante a cantora, que faturou disco de ouro nos cinco álbuns anteriores.

Misturas nos ritmos marcam as treze composições, doze delas de autoria dos amigos Pe. Fábio de Melo, Anderson Freire, Walmir Alencar, Rodrigo Pires, Adelso Freire, Aretusa, Dirceu Freire, Italo Villar, Arnóbio Moreira e Dalvimar Gallo. Esta variedade de estilos, somada à composição própria de Adriana, resultou num repertório rico em conteúdo e musicalmente diversificado.

Dirigido pelos produtores musicais Adelso Freire e Val Martins, que assinam também os arranjos (em uma faixa, com Rodrigo Pires), o álbum tem participação especial de Eliana Ribeiro, da Canção Nova, Adelso Freire (Banda Giom), e de integrantes do Grupo Yahoo (Val Martins, Marcelão e Sérgio Melo, Adson Sodré e Sérgio Knust e Zé Henrique). Jardim Secreto reflete, segundo a cantora, o momento dela e, quiçá, do mundo: nunca desistir de lutar e fazer a diferença sempre. “Muito mais que vender discos, espero que minha música alcance o coração das pessoas, como um canal limpo de evangelização”.

Clique AQUI e peça agora mesmo!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Adquira o novo CD de Tati Reis

Para agendar shows de evangelização com a TATI REIS pelo Nordeste, consulte Olem Produções (Jacytan Melo) (81) 8645-1475 - 9968-4098, ou pelo E-mail: olemproducoes@gmail.com

Pare de ter pena de si mesmo

Ana era estéril. Sem poder ter filhos, maltratada por seu marido, e continuamente provocada por sua rival, ela já não suportava mais tanta humilhação. Naquele tempo, uma mulher estéril era considerada alguém que não merecia a bênção de Deus. É fácil imaginar o sentimento de uma pessoa assim, que não sabe o que fez para que todos, inclusive Deus, virem as costas para ela. Só que, em vez de ter pena de si mesma e ficar alimentando sua dor, Ana recorreu ao Senhor. Passou um dia inteiro no templo, derramando a sua alma diante dea Deus.

À tarde, o sacerdote Heli, que a tinha visto no local sagrado por tanto tempo, imaginou que estivesse bêbada. Tão logo o sacerdote repreendeu Ana, dizendo para que fosse curar sua bebedeira em casa, ela respondeu que estava ali desafogando a alma na presença do Senhor. “Não julgues a tua serva como uma mulher perdida, pois foi pelo excesso da minha dor e da minha aflição que falei até agora”. Foi então que o sacerdote disse para Ana ir em paz, porque o Deus de Israel atenderia seu pedido.


O que o sacerdote proclamou foi uma palavra de bênção. Ana, mulher de Deus, agarrou-se àquela bênção e, na volta para casa, seu marido a tratou de forma totalmente diferente. Ana concebeu e deu à luz um filho a quem chamou Samuel – que significa “eu o pedi a Deus”. Samuel é quem, mais tarde, mudaria a situação de Israel. Mas tudo isso só foi possível porque sua mãe derramou a sua angústia diante do Senhor, passando um dia inteiro em oração até não suportar mais falar.


Portanto, pare de ter pena de si mesmo e de ficar alimentando sua dor. Isso só vai aumentar ainda mais os seus problemas. E cuide para não buscar a solução em pessoas e lugares errados, nem mesmo em crenças enganosas. Com perseverança, confiança e fé, apresente seu problema ao Senhor de todas as coisas. Deus nos ensina que é somente diante dEle que devemos derramar o nosso desespero. Quando fazemos isso, o Todo-poderoso nos atende e tira de nós todo sentimento de angústia, de insegurança e de dor. Saiba que Deus quer muito restaurar sua vida hoje.


Monsenhor Jonas Abib (www.cancaonova.com)


Fonte: Assessoria de Comunicação da Canção Nova
Local:Cachoeiro do Itapemirim(ES)
:

Nação Católica lança seu site de relacionamento

Neste ano de 2009, a TV Século 21 completou 10 anos de excelentes serviços voltados a evangelização por todo Brasil. Agora tem uma novidade que muitos irão gostar, foi lançado o site de relacionamento www.nacaocatolica.com.br

Com este site o internauta pode criar uma comunidade virtual com a qual poderá fazer muitos amigos.

A Nação Católica convida a todos para participarem, é só preencher o formulário e iniciar o círculo de amizades. www.nacaocatolica.com.br
Grupos do Google
Participe do grupo MCC - Músicos Cristãos Católicos
E-mail:
Visitar este grupo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...