Pesquisa personalizada

#MCC - Calmaria - Alexandre Privato

#MCC - Diego Fernandes - Sigo o Leão da Tribo de Judá

MCC - Músicos Cristãos Católicos recomenda:

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Dom de Resgate "Acorda pra vida"

Quando se fala em rock na Igreja católica, muitos sentem até arrepios, a ala conservadora da igreja fica de cabelo em pé quando o assunto rock é discutido. De inicio, precisamos entender o que é rock cristão (ou white metal). Este nome é dado às bandas que tem como estilo musical o Rock Heavy Metal. Essas bandas católicas que usam como estratégia esse estilo musical, argumentam que é para promover o crescimento espiritual e a propagação do evangelho de Cristo para o mundo, ou como uma janela para questões de vida e de fé. Para “louvar” o Senhor existem vários estilos “musicais” diferentes como Hardcore, Trash, Pop/Rock, Heavy Melódico, Hard Rock, Heavy Metal tradicional, Industrial, Grunge, Ska e muitas outras tendências musicais que só eles sabem definir.

Este movimento teve início nas décadas de 60 e 70 com a juventude evangélica, iniciado por algumas bandas Batistas, dentre elas, Petra e Stryper, se espalhando pelo mundo e chegando a atingir muitos músicos católicos, dando inicio ao movimento que até então não era explorado. A primeira banda de rock católica que se tem notícia foi o Cristoatividade, que logo após vieram a Cristi, Rosa de Saron, e Eterna, espalhando o movimento no Brasil e no mundo, com muita intensidade.

Dom de Resgate

A banda Dom de Resgate surgiu precisamente em maio de 2003, na Paróquia Assunção de Maria (Rio Doce) Olinda-PE, segundo os integrantes," o surgimento da bandafoi com o intuito de trabalhar na comunidade a qualidade musical, a socialização e a evangelização com os jovens." Mas, para atingir seus objetivos, ogrupo precisou unir forças com músicos seculares e de outras denominações cristãs.

A determinação e a ousadia deste grupo geraram um grande projeto sócio-cultural no estado de Pernambuco, que se chama "Acorda pra Vida." Este trabalho se utiliza do teatro, da dança, da música e das artes plásticas como meio para atingir seus objetivos.
A banda Dom de Resgate tem como referências musicais Rosa de Saron (católica) e Oficina G3 (protestante), mas vem desenvolvendo seu próprio estilo experimentando os ritmos e a cultura da sua região.

Para ouvir a banda:
http://bandasdegaragem.uol.com.br/radio/v2/pocketswf.php?id=13105" />http://bandasdegaragem.uol.com.br/radio/v2/pocketswf.php?id=13105" type="application/x-shockwave-flash" wmode="transparent" width="296" height="309">

sábado, 17 de janeiro de 2009

Os Pecados do Músico Católico

Confira abaixo os 30 pecados do músico, elaborados por Pe. Joãozinho e Serginho Valle! Tenho certeza que você, assim como eu, já se encaixou ou se encaixa em um deles.

  1. Fazer do altar um palco
  2. Impor sempre seu gesto pessoal
  3. Cantar por cantar
  4. "Só toco se for do meu jeito"
  5. Ir sempre contra a idéia da equipe de celebração e do padre
  6. Escolher sempre as mesmas músicas
  7. Nunca sorrir
  8. Usar instrumentos desafinados
  9. Tocar músicas de novela em casamento
  10. Afinar os instrumentos durante a missa
  11. Colocar letra religiosa em música da "parada"
  12. Nunca estudar liturgia
  13. Não prestar atenção na letra do canto
  14. Não ler o Evangelho do dia antes de escolher as músicas
  15. Cantar forte demais no microfone, ou seja, o seu é sempre o mais alto
  16. Volume dos instrumentos (muito) acima do volume dos microfones
  17. Coral que canta tudo sozinho
  18. Cantar só para exibir-se (estrelismo)
  19. Distrair a assembléia com conversas paralelas durante a missa
  20. Não avisar ao padre as horas que serão cantadas
  21. Nunca ensaiar novas canções nem estudar o instrumento que ministra (voz, violão, teclado...)
  22. Ensaiar tudo antes da missa
  23. Cantar músicas desconhecidas
  24. Usar roupa bem extravagante, que chame a atenção
  25. Fazer de conta que está em um show de rock
  26. Perder contato com a assembléia
  27. Músicas fora da realidade e do tempo litúrgico
  28. Fazer o máximo de barulho
  29. Não ter vida interior, oração com o Ministério inteiro ou falsa humildade
  30. Repetir no fim de cada celebração: VOCÊS SÃO ÓTIMOS, EU SOU APENAS O MÁXIMO!

PARA REFLETIR


Espero que você tenha se conscientizado e comece a mudar a sua maneira de ministrar música na Igreja: passe essa lista aos outros integrantes do seu grupo. Tenho certeza que vocês crescerão muito com isso. As qualidades que você precisa ter para ministrar a música são:

- humildade
- ser pessoa de oração
- saber sorrir
- amar a Deus
- ter vida interior
- inspirar segurança e confiança
- ter bom ouvido musical
- ser discreto
- ser instrumento de Deus
- ser paciente e persistente
- bom senso
- ser profeta ( falar e cantar em nome de Deus)

Com isso podemos começar a servir a Deus. Não caia novamente nos pecados do músico.
Um bom líder sabe que varias cabeças pensam melhor que uma!


sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

O Grupo Renascer nasceu em 1995, fruto do Grupo Jovem Renascer, em Casimiro de Abreu-RJ, especificamente para atuar na animação da Unidade Diocesana. Mesmo sem nenhuma experiência musical, a “Banda Renascer” ficou conhecida por todas as Paróquias da região, e a partir de então começaram a surgir convites para louvores e eventos.

Em 2000, o grupo passou por uma série de mudanças, principalmente no amadurecimento espiritual, mas também musical, percebendo que era muito mais que uma simples banda de música católica. Deus mostrou que a missão de evangelizar era urgente e a cada dia tem enviado seu Espírito Santo para dar força, fé e coragem a este grupo que hoje canta e celebra as maravilhas que Deus já realizou nele e através dele.

Em 2005, ao completar 10 anos de caminhada, o Grupo Renascer resolveu dar um passo a mais: gravar um DVD ao vivo, não profissional, somente comemorativo. Muito mais que realizar um grande evento, Deus mostrou que todo tempo de ensaio, todos os momentos de oração juntos, fez com que estivessem mais perto, ensinando-os um novo jeito de amar, a enxergar melhor um ao outro, e a ser misericordiosos uns com os outros, trazendo cura, libertação, perdão e, todas as graças desejadas para os outros, aconteceram primeiro dentro do grupo. A partir de então, surge o desejo de se lançar num grande projeto de evangelização através da música católica, que há muito havia começado no coração de Deus e que agora, a partir do CD Quero Renascer, se concretiza com o intuito de ver pessoas transformadas e curadas através de suas canções e de seu testemunho de vida.

O CD é composto por 12 faixas, todas composições do grupo e ainda conta com a participação especial da cantora católica Elaine Mendonça, do Ministério Haguidéni, do Rio de Janeiro. Vale a pena conferir... Grupo Renascer, Música Católica de qualidade em ritmo Jovem!

Clique AQUI e peça agora mesmo!

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Disco de Ouro para artista católico: você é contra ou a favor?


Em 2007, a gravadora católica CODIMUC realizou uma enquete que foi considerada meio polêmica para o cenário da música católica brasileira. A enquete foi: "O que você acha dos artistas católicos serem premiados com Disco de Ouro por suas vendagens?" O questionamento foi muito importante e fez com que muitos músicos, dirigentes de grupos, padres, entre outros, refletissem sobre o assunto.


Para entender

Um artista, seja ele: católico, evangélico ou secular, quando lança um álbum no mercado e a vendagem deste atinge uma quantia determinada, a ABPD (Associação Brasileira de Produtores de Disco) concede um prêmio, uma honra ao mérito, que no meio artístico é conhecido como Disco de ouro. A cada cota atingida o famoso "disco" ganha uma denominação diferenciada: disco de ouro, de platina, platina duplo, diamante, o por aí vai.

Só para se ter idéia, no Brasil, até o ano de 2003, para receber um destes prêmios o artista tinha que vender no mínimo a quantia significativa de 100 mil cópias do seu álbum. Mas, nem tudo são flores, devido ao alto número de pirataria que atrapalha o mercado fonográfico, estes números diminuíram bastante: o Disco de ouro, hoje, é concedido a quem vende 50 mil cópias.



Jacytan Melo Produções Artísticas Ltda.,
a sua mais nova produtora de eventos católicos.
Fones (81) 8645-1475
jacytan.melo@gmail.com


Cursos Online com certificados a partir de R$ 20

Cursos 24 Horas - Cursos Online a partir de R$ 20




terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Maria na Bíblia

Não se pode perder a oportunidade para se refletir sobre Maria, mãe de Jesus Cristo, também conhecida como Nossa Senhora Aparecida. Maria tornou-se nossa mãe e senhora aos pés da cruz pelo próprio Cristo: “Mulher eis o teu filho! Depois disse ao discípulo amado (João): Eis a tua mãe!” (João 19, 25-26). Segundo os estudiosos, o caráter escriturístico e singular do apelativo “mulher” significa que o evangelista vê aqui um ato que transcende a simples piedade filial: a proclamação da maternidade espiritual de Maria, a nova Eva, sobre os fiéis, representados pelo discípulo bem-amado.

De Maria fala-se pouco, mas esse pouco é eloqüente. A começar da Anunciação. Ignoram muitos cristãos (ou que se consideram cristãos) a origem da oração “Ave Maria”, pensam muitos que é invenção dos católicos, mas se observarmos a Bíblia veremos que foi o anjo Gabriel quem saudou: “Ave Maria, cheia de graça, o Senhor é convosco”. Muitos tradutores preferem “alegra-te” ao invés de “Ave”, pois é um apelo à alegria messiânica, eco do convite dos profetas à Filha de Sião e motivado, como ele, pela vinda de Deus em meio a seu povo, conforme Isaías 12,6, Sofonias 3,14-15, Joel 2,21-27 e Zacarias 2,14 e 9,9.

E foi Isabel quem, inspirada pelo Espírito Santo, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre!” conforme Lucas 1,41-42 e como vemos a seguir, em 1,48-49 é a própria Maria quem profetiza: “Doravante todas gerações me chamarão bem- aventurada (feliz), pois o Todo-Poderoso fez grandes coisas em meu favor!”

Você faz parte da geração que reconhece a importância de Maria? Não? Pois saiba que não se deve amar Maria por ela ser apenas a mãe de Cristo (cf. Lc 8,19-21: “quem são minha mãe e meus irmãos?”), mas por ouvir e viver a palavra de Deus.

E o primeiro milagre de Jesus aconteceu por intercessão de Maria em um casamento em Caná da Galiléia (João 2,1-12). E aqui vemos algumas coincidências interessantes. Maria está presente em seu primeiro milagre, a conversão da água para o vinho, e novamente na crucifixão. Nas bodas de Caná, também Jesus chama aqui sua mãe de “mulher”, uma reminiscência de Gênesis 3,15.20, ou seja, Maria é a nova Eva. E “minha hora ainda não chegou”, pois a “hora” de Jesus é a da glorificação, de sua volta à direita do Pai. O milagre conseguido por Maria será seu anúncio simbólico.

Maria se fez presente em muitas ocasiões. Após a morte e ressurreição de Jesus, Maria se fazia presente nas orações (Atos 1,14). O que reforça a tese que Maria, além de conhecer as Escrituras profundamente (cf. o Magnificat de Lc 1,46-55), era devota a oração e ao silêncio, à contemplação.

Jesus, através de Maria, eleva a situação da mulher, muito inferior na época, colocando-a em uma posição de destaque e participação ativa, mostrando-nos uma pessoa exemplar que deve ser imitada por todos nós.

Mario Eugenio Saturno,Caixa Postal 515,CEP12201-970 – São José dos Campos / SP,Telefone: (012) 3945-6622,Celular: (017) 9775-2971

domingo, 11 de janeiro de 2009

Afinal, somos Ministros ou Artistas?

Uma matéria que escrevi nesse blog foi motivo de muitas críticas, minha caixa de e-mail só trazia reclamação de pessoas que leram e não gostaram. Acho democrático as reações negativa e positiva de qualquer indivíduo, afinal, não espero comentários floridos. Em razão dessa polêmica, gostaria de continuar um assunto em que eu muito me pergunto: Somos artistas ou ministros? Tudo isso é fruto de minhas novas reflexões sobre músicos e música e seu papel dentro da Igreja em louvores, encontros e missas as quais irei de compartilhar com vocês.

A nova era da música religiosa católica deveu-se ao movimento da Renovação Carismática Católica. A Igreja, ou melhor dizendo, os fiéis passaram a ter um novo fervor na fé, tudo embalado pelo som de bandas que a cada dia se multiplicavam dentro das capelas e Paróquias. A missa para ser "boa" tinha que ter uma banda.

Desde garoto sempre fui vidrado por música, lembro-me bem, meu pai, um evangélico fervoroso (ao contrário de mim, que sempre tive formação católica motivado pela minha mãe, levava discos, os famosos long plays que ele comprava com muito orgulho. Apesar de não gostar do estilo sempre procurei ouvir de tudo um pouco, pois música secular só no rádio, mesmo assim quando ele não estava presente. Hoje, passados tantos anos, o mundo mudou, o Brasil mudou e a música religiosa brasileira (tanto a católica quanto a evangélica) também mudou.

Músicos e compositores católicos foram surgindo, a medida em que o movimento crescia. Todos sonhavam em ser um Padre Marcelo, um Dunga, Valmir Valverde, entre tantos autores. Quem não sonhou em tirar idênticos a vida Reluz, Rosa de Sharon, Comunidade Recado, entre outros foram os que lideraram este rico movimento de música vocal cristã Católica que iniciou com garra, determinação e muita unção e prossegue ativamente até os dias de hoje.

A minha grande preocupação, hoje, é o esmero de muitos ministérios de música com a técnica, não quero dizer com isso que sou contrário a perfeição. É por que com a técnica geralmente vem a vaidade. A obesessão de alguns em gravar Cds é uma coisa assustadora. Tenho observado que existem muitos artistas independentes que sobrevivem da venda de paróquias, dioceses, capelas, encontros ou em livrarias católicas, em sistema de consignação.

O fato se não for bem orientado, se não tiver oração presente em todos os momentos do grupo pode afetar o ministério de música de maneira direta.

Estar na frente da assembléia está virando um palco de shows em vez de um santuário. Cada vez mais nossos músicos estão transformando nossos encontros em shows de música. Cada vez mais os esforços de evangelização de palestrantes e padres são precedidos de shows. Com palmas e manifestações de apreço, muitas vezes pela mensagem da música, mas na maioria das vezes pelo artista. Cada novo CD que um Ministério de Música produz existe uma preocupação em ter no repertório músicas para ser cantada em louvores e outra para divulgação em Rádios católicas, e muitos cds já não tem mais músicas apropriadas para louvores ou conversão.

Tem um capítulo na Bíblia, no Novo Testamento, onde relata que até Jesus foi tentado no deserto. Nós, como músicos, estamos no meio desta batalha terrível e precisamos ter discernimento para definir o que somos: Ministros ou Artistas. E cada dia que vai passando (são 10 anos de caminhada em ministério de música) percebo que somos tentados em diversos aspectos. Na música, é no desejo de vender bem, na vaidade de solos e acordes, poderia descrever um monte de pequenas armadilhas do inimigo. Uma das formas mais usadas para desacreditar o ministério da música tem sido a vaidade. Primeiro o inimigo leva o artista nas alturas pra contemplar lá do alto o que o mundo oferece e o artista cristão católico embevecido com o aplauso das multidões e fãs relaxa em seu contato diário com Jesus Cristo. Passar a agir como o apostólo São Pedro no episódio onde anda pelas águas. E esquece da dependência de Deus. E é nessa hora que o inimigo afunda os São Pedros artistas da vida (auto suficientes) com frustações, desonestidade, infidelidade, etc.

A nossa contribuição para o ministério de música é,
em primeiro lugar definir de que lado desta batalha estamos. Transformar os shows de música e feiras de vendas da porta da sua igreja, dos encontros em verdadeiros cultos de louvores a Deus e não culto a pessoa. O povo de Deus está precisando é de ministros e não de artistas ansiosos em vender seus produtos. Procure não cair na tolice de promover uma nova inquisição fazendo uma extensa lista de músicas que podem ou não podem, acordes que podem ou não podem, ou tentar selecionar os instrumentos que podem ou que não podem tocar na Igreja. Reze e peça que Deus conceda discernimento aos músicos. Lembre-se que um instrumento de percussão como a bateria bem tocado pode inspirar e cumprir um objetivo. Formem bandas para uso no louvor.

Não é a música, os instrumentos, os acordes, os arranjos, as combinações musicais, mas sim os músicos que vão fazer a diferença.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Jake, a Guerreira do Amor quebrando barreiras com seu Axé Católico




Cursos Online com certificados a partir de R$ 20

Cursos Online






Em entrevista concedida ao Palco Católico

PC: Olá Jake, é um grande prazer tê-la conosco e poder partilhar um pouca da sua vida e da sua música aqui no nosso portal. Nos fale um pouco de você, onde vive, onde atua, há quanto tempo esta na estrada.

Jake: O prazer é todo meu em partilhar minha caminhada com o Palco Católico. Nasci e moro em São Paulo na Diocese de Santo Amaro e a 13 anos vivencio a fé católica. Canto desde os meus 16 anos em Grupos de Oração, Missas, Barzinhos de Jesus, Festivais etc e com o Ministério Guerreiros do Amor me formei e aprendi entregar minha vida a Deus. Este ministério existe até hoje e graças a ele lancei meu primeiro CD: JAKE "GUERREIRA DO AMOR"

PC: Como e quando a música católica entrou na sua vida? Como é a tua vivência no ambiente católico?


Jake: Desde minha infância minha mãe me levava pra igreja. Me lembro de várias cenas em que brincava nos bancos enquanto minha mãe participava de adorações e missas. Tive a real consciencia sobre Deus a partir dos meus 13 anos, mesmo assim um pouco tímida. Só mesmo a partir dos meus 16 anos que pela freqüência a igreja fui me engajar atraída pela música (grupo de louvor). Foi a partir daí que começou meu encanto por Deus e minha vida missionária.

PC: Me fala quais as suas influências musicais e como é uma paulistana ter essa identificação enraizada com a música baiana, o axé music?


Jake: Sempre ouvi todos os estilos musicais e performances artísticas religiosas e seculares. Tinha o sonho de poder colocar a disposição da igreja o melhor de mim. Devido ao carisma desbravador e pulsante de Guerreira o que mais mexia comigo eram os batuques e percussões. Resolvi então unir a qualidade musical, o batuque, meu carisma e o mais importante: A UNÇÃO DIVINA. Pois sempre desejei que todos os esforços fossem para a glória de Deus e para o resgate de almas. " Se o Senhor não edificar a casa em vão trabalham os operários".

PC: Nos fale do teu CD, como está sendo o trabalho de evangelização desde o lançamento, a aceitação do público?


Jake: Está sendo um grande sucesso por ser algo novo na igreja e por ter a presença muito forte de Deus em toda a composição. As pessoas estão muito sedentas de alegria e de folia, afinal Jesus é festivo e permite que seu povo se divirta pra valer com prudência. A cada batuque e acorde Deus opera curas e libertações nas mais diversas áreas. Estamos acostumados com orações de cura interior, que são uma benção, mas no louvor Deus age grandemente e a cada braço erguido Deus se compadece e atende.

PC: Eu acompanho o axé music desde 1995 e no teu trabalho é possível perceber arranjos característicos do axé baiano desde os tempos da banda Mel até pegadas atuais como em Babado Novo e Ivete. Quem é o responsável por essa diversidade musical e pela produção do teu CD?


Jake: As letras e melodias são minhas, com participações em 2 músicas de minha irmã e de minha mãe. Os arranjos musicais foram produzidos por Carlos Henrique (Contrabaixista da Banda Filhos de Davi) e Renno Saraiva ( Tecladista do cantor Fagner ). Os músicos são todos do Nordeste e seculares, pois buscamos muito profissionalismo. Destaca-se a participação de Hoto Júnior (percussionista de Daniela Mercury e Gil). Enquanto Hoto Júnior tocava a Faixa 01 do CD começou a chorar sem saber porque; foi tocado pela glória de Deus e testemunhou: "Toco com Jake onde for e sem rolar grana".

PC: Alguns músicos e até pessoas influentes na música católica criticam e desaconselham que músicos católicos busquem aperfeiçoar sua técnica e crescer musicalmente através de estudo nada música secular, você concorda com essa mentalidade?


Jake: Não. Quando os músicos católicos de comunidade forem profissionais aí não será necessário espelhar-se na música secular. Enquanto isso precisamos saber o que queremos (EVANGELIZAR) para não sermos seduzidos pelo maligno, mas temos que lutar com unhas e dentes pelo profissionalismo. PROFISSIONALISMO SEMPRE. CHEGA DE AMADORISMO.

PC: Com relação ao teu show, como está sendo evangelizar através do axé? Você tem uma banda base que te acompanha? Quais informações poderíamos estar passando para os empresários interessados no teu show?


Jake: Esta sendo uma benção evangelizar através do axé music. As pessoas se divertem e recebem a palavra de Deus. Saem do conceito de igreja monótona e antiga. Enxergam um Deus com sangue nas veias que é guerreiro também. Trabalho atualmente com diversas bandas de acordo com a região do evento, mas tenho o sonho de poder trabalhar com uma banda fixa e poder garantir a qualidade do show. Meu contato para show é 11 5976 4828 contato@jake.com.br.

PC: Muitos reclamam, outros só reclamam... mas como você vê a música católica hoje, o potencial de mercado, a qualidade técnica e espiritual dos trabalhos disponíveis hoje?

Jake: Vejo que o mercado católico tem muitos talentos que precisam ser aperfeiçoados. A cada dia tem aumentado o número de músicos profissionais católicos, mas ainda temos muito a fazer. Já pensou se você vai a padaria pra comprar pão e o padeiro informa: - Não vendemos pão? A mesma coisa é um ministro que tem um instrumento, se diz ser um músico, mas NÃO TOCA MÚSICA. Não reclamo, mas vivenciando a realidade como estou incentivo e alerto dizendo: SE FOR PRA SER, QUE SEJAMOS OS MELHORES! NA ORAÇÃO E NA TÉCNICA. NÓS SOMOS A RIQUEZA DA IGREJA!

Se for pra ser, que sejamos os melhores, na oração e na técnica. Nós somos a riqueza da igreja!

PC: Sobre a música católica, o que você acha que não vai bem e/ou onde podemos melhorar para torna-la o meio forte de evangelização que todos nós desejamos?


Jake: Além de nos tornarmos profissionais no que nos propomos a fazer, precisamos conscientizar a igreja do nosso valor. Mostrar nosso serviço. Levantar a bandeira mesmo com idéias criativas. Porque não fazer um lual na praça com violonistas e chamar a galera, fazer um couver de artistas católicos, fazer uma rádio fictícia na comunidade, montar oficinas de composição ou produção musical...enfim. Podemos fazer muitas coisas, mesmo que não tenhamos dinheiro, apoio, irmãos interessados ou espaço. Mas não podemos ficar parados. Temos que desenvolver nossas capacidades. Pedir apoio ao sacerdote mostrando interesse pela obra (sem desobedecer a igreja ou revoltar-se) e nunca desistir de realizar a obra de Deus. NUNCA DESISTA!

PC: Bem, mais uma vez eu agradeço em nome do Palco Católico a tua disponibilidade e participação no nosso portal, nos colocamos a disposição e deixe a sua mensagem para os nossos internautas.


Jake: Que você hoje assuma a sua função de servo de Cristo; sem vergonhas, sem limitações e sem medo. Deus não escolhe os capacitados, mas capacita os escolhidos. Se for cantar solta o bocão no microfone e peça a opinião de alguém pra ir aperfeiçoando. Se for tocar mete o dedo no ensaio, improvisa e ouça muita música para ser melhor. Ninguém nasce sabendo, mas deixa de aprender por cauda da vergonha, acomodação e falta de horizonte. Ninguém se levante pra ensinar se antes não sentou pra aprender. Existe um mundo inteiro para conquistarmos. Muitos que estão nos vícios, querem se suicidar, estão na depressão e outros afastamentos precisam da nossa voz. Não faça mais ou menos; faça com entrega total, seja qual for seu papel (pregar, limpar, cozinhar, etc). Lembre-se que somos guerreiros e enfrentaremos muitos combates, mas alguém na cruz alcançou a vitória por nós. Que meu testemunho sirva pra você crescer e que nada destrua o valente que há em você. AVANTE!

PC: Muito obrigado e espero que possamos conversar mais vezes em outras oportunidades.


Jake: Agradeço infinitamente a oportunidade de fazer parte do Palco Católico. Estaremos sim sempre em contato. Quem quiser comentar a entrevista ou fazer contato comigo envie e-mail jake@jake.com.br. Será um grande prazer. Que a unção do Cristo esteja sobre toda a produção do Portal e publicações, e que possamos cada um em sua missão alcançar muitas e muitas almas para Deus. Sucesso Palco Católico!

Jake cantando a música BOM É LOUVAR, no summer beats 2 realizado em dezembro de 2006 na Playcenter.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Novo CD de Flavinho: Comigo Estás

http://www.portaldamusicacatolica.com.br/news_comigoestas.htm

Comigo Estás, este é o tema do mais novo trabalho do cantor Flavinho da Comunidade Canção Nova. Composto por 13 faixas, o CD traz músicas de amigos, sendo o tema do álbum de autoria do próprio cantor.

A obra traz várias surpresas, destacamos a música Mãe, uma homenagem à padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, e a canção Te amo, ministrada por Flavinho e sua esposa Ana Lúcia.

Com um perfil musical voltado para canções de reflexão e de adoração, o cantor católico vem conquistando um espaço cada vez maior no meio artístico religioso.

Clique AQUI e peça agora mesmo!


Grupos do Google
Participe do grupo MCC - Músicos Cristãos Católicos
E-mail:
Visitar este grupo

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...